terça-feira, 24 de julho de 2012

Meu livro na Bienal de SP

Postado por Luana Ciriaco às 23:12 2 comentários

Conto com a presença de todos...

terça-feira, 17 de julho de 2012

Postado por Luana Ciriaco às 23:00 1 comentários


Tarde demais...


Nunca entendi como funciona o coração juro que por muitas vezes esforcei-me para compreendê-lo, mas nunca cheguei a conclusão alguma. Meu nome é Maria flor mais os meus amigos mais íntimos costumam me chamar de Flor e sinceramente prefiro ser chamada assim. Há cerca de cinco anos atrás eu conheci o Leonardo, meu melhor amigo, a nossa harmonia era tanta que muitas das vezes eu esquecia que ele era um homem. Começamos a nossa amizade ainda no ensino médio o tempo passou nos formamos e entramos para a faculdade de psicologia por coincidência do destino tínhamos os mesmos sonhos de nos tornar grandes psicólogos um dia, mas sabíamos que o caminho era longo. Nos primeiros períodos da faculdade a vida parecia perfeita principalmente quando estávamos juntos, mas com o passar do tempo outras pessoas foram se juntando a nós e tudo mudou. Não éramos mais os mesmos amigos da época da escola e aos poucos fomos ficando distantes até que finalmente deixamos de nos falar.
Tudo ficou tão formal que era óbvio que ele não estava mais sozinho talvez tivesse arrumado uma namorada ou uma companhia mais agradável do que eu a verdade é que acho que nunca vou descobrir o que aconteceu entre a gente, eu não sei se foi uma amizade intensa, se foi um amor juvenil ou qualquer outra coisa, mas confesso que por muitas noites eu chorei por não tê-lo ao meu lado. Muitas amigas me aconselharam a dizer o que eu sentia mais nunca quis fazer isso nós éramos tão parecidos que eu não conseguia acreditar, que uma relação entre nós poderia dar certo. Depois que eu me acostumei com o rumo que nossas vidas havia tomado resolvi abrir o meu coração para outras pessoas e acabei conhecendo o Matias, um estudante de odontologia, eu costumava ficar sentada nos degraus da escada do bloco A sempre com um livro em cima das pernas, ás vezes eu parava para ler e outras para espiar os rapazes que passavam de branco pelo corredor. Foi em um desses dias que Matias resolveu se apresentar, nós começamos a conversar e acabamos descobrindo que tínhamos algumas afinidades. Passamos a nos ver todas as noites, ele fazia questão de me acompanhar até metade do caminho na volta para casa e quando dei por mim já estávamos mais envolvidos do que eu gostaria de admitir. Começamos a namorar sem nos preocupar com nada e nem ninguém fazíamos planos de nos casar e ter dois filhos, o Matias era o meu príncipe encantado e perde-lo não estava nos meus planos.
A essa altura fazia uns três meses que eu não via o Leonardo estávamos cursando matérias diferentes em horários diferentes, mas de repente ele apareceu e depois de me ver ao lado de Matias tomou coragem de confessar o que ele nunca me permitiu falar, ele confessou que gostava de mim e que não suportava a idéia de me ver ao lado de outro, eu fiquei surpresa com aquela atitude e acabamos nos beijando. Esperei tanto por esse momento que quando ele finalmente chegou percebi que era tarde demais, eu não senti nada ao beija-lo, a nossa relação havia tornado-se apenas uma lembrança e nada mais, além disso. Era com Matias que eu queria ficar e Leonardo precisava entender isso, o tempo é cruel e descobrimos isso da pior maneira possível. Depois de formados eu e Matias nos casamos e tivemos dois filhos, Leonardo mudou de cidade e nunca mais tive noticias, a vida não foi tão fácil quanto imaginei mais nunca me arrependi das escolhas que fiz. Aprendi que tudo tem seu tempo e que para ganharmos algo devemos abrir mão de outras e principalmente sempre sermos honestos com nós mesmos, não deixe para dizer amanhã o que você sente por alguém, pois pode ser tarde demais.

 

*** Luana Ciriaco*** Copyright © 2009 Paper Girl is Designed by Ipietoon Sponsored by Online Business Journal